sábado, 30 de junho de 2012

Prazeres Agressivos - Sadismo e Masoquismo



Até que ponto a imaginação pode transformar o homem e a mulher? O que pode acontecer quando nos tornamos escravos do desejo? Qual a diferença entre fantasia e a prática do sadismo e do masoquismo? Como experiências vividas na infância marcam nosso inconsciente e nossas relações afetivas e sexuais? Quais os limites éticos da vivência de nossas fantasias?

Ouça o áudio post abaixo e compreenda essas questões!

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Nosso quadro Semanal na Rádio FM 104

O tema desta semana foi sobre Sexualidade na Terceira Idade, cliquem no áudio post abaixo e confiram as respostas das questões enviadas pelos ouvintes nesta semana. Nosso quadro sobre Sexualidade e Educação Sexual toda sexta-feira, 12:30 h, dentro do Programa Giro de Notícias na Rádio FM 104 de Cornélio Procópio, também transmitida ao vivo pelo site da Rádio!  As perguntas dos ouvintes podem ser enviadas pelo email: profdraclaudiabonfim@gmail.com



quarta-feira, 27 de junho de 2012

Lançamento do livro "Desnudando a Educação Sexual"



COMPARTILHO COM VOCÊS A ALEGRIA DO LANÇAMENTO DO MEU NOVO LIVRO

"DESNUDANDO A EDUCAÇÃO SEXUAL"
LANÇADO EM JUNHO DE 2012 pela Editora Papirus.





Sinopse

Esta obra busca orientar pais, educadores e agentes sociais interessados em refletir sobre o encaminhamento dessa questão, tão fundamental em nossas vidas, de forma regular e adequada.  São discutidas as dimensões da educação sexual e da própria vivência ou representação da sexualidade em nossa sociedade: tabus, repressão, matrizes culturais, questões de gênero, o desenvolvimento psicossexual da criança, a erotização da adolescência e a influência da indústria cultural. É uma proposta de superação de preconceitos e de assimilação de novas significações da própria sexualidade, a fim de que essa vivência seja prazerosa, saudável, de qualidade – e, sobretudo, humanizada e afetivamente responsável. A autora apresenta ainda algumas dicas e sugestões de atividades pedagógicas!




terça-feira, 19 de junho de 2012

Hoje eu tô de Chico, me deixa! Vamos pensar a sexualidade na música dele... Chico Buarque!



Vamos pensar sobre a sexualidade musicalmente?

É incrível como Chico Buarque um dos meus cantores preferidos  consegue falar, ou melhor cantar a sexualidade e nos passar mensagens críticas e profundas sobre  a sexualidade de uma maneira naturalmente linda.
Pensando nisso nesse dia 21 de junho é comemorado o dia da música e assistindo uma palestra ministrada na UNICAMP uma frase da brilhante apresentação artística da maravilhosa Professora Doutora Marcia Strazzacappa ficou na minha mente, pq eu, como ela também entendo assim, que nada vida a gente precisa aprender algumas coisas, mas as principais delas são "ler, escrever, contar e CANTAR!" Bem isso, eu publiquei inclusive um capítulo de livro em conjunto com o Prof. Dr. Wilson Correia, sobre "a importância da música na formação da subjetividade". Sabemos o quanto a música está presente em nossas vidas, ela expressa sentimentos, pensamentos, opiniões, culturas, sensibilidade e certamente ajuda a alegrar a alma, a humanizar-nos, a melhorar o espírito, o humor, enfim, nesse dia em nosso blog os convido a pensar a música com expressão da sexualidade. Lamentavelmente, o mercado da música, que transforma tudo em produto inclusive mercantilizando o sexo e a sexualidade, tb pode, e tem influenciado negativamente para um despertar da erotização precoce, para uma porno-vulgarização da dança, da música e da sexualidade. Mas ainda bem que há aquelas canções como as de Chico Buarque nos convidam a pensar, (re)pensar crítica e profundamente a sexualidade de maneira bonita e humanizadora. Nesse sentido eu acrescentaria uma palavra no que disse Baudelaire: "É preciso estar sempre embriagado. Eis aí tudo: é a única questão. Para não sentirdes o horrível fardo do tempo que rompe os vossos ombros e vos inclina para o chão, é preciso embriagar-vos sem trégua. Mas de quê? De vinho, de poesia, [DE MÚSICA], de poesia ou de virtude, à vossa maneira. Mas embriagai-vos". 
“O que será” ´é um dos temas musicais centrais dos aúdio posts de nosso blog:


Mulheres de Atenas nos permite fazer uma análise profunda da sexualidade feminina.


O “Meu amor” fala do lado erótico da sexualidade, isso sim é sensualidade à flor da pele.


“Mar e Lua” e “Geni e o Zepelin” nos permite pensar amorosamente a homoafetividade


E tantas outras músicas de Chico, falam de amores, de amantes e nos encantam, despertam, aguçam nossa sexualidade, nossos sentimentos, nossos desejos, nosso sonhos, nossa saudade, nossos pensamentos, nossa criticidade.
João é Maria não fala exatamente de sexualidade é para mim é um xodó! Porque “pela minha Lei a gente era obrigado a ser feliz”! 
Para finalizar socializo a música do Barão Vermelho que intrepeta a fala de Baudeleire à qual eu acrescrentei a palavra música. "É preciso estar sempre embriagado. Eis aí tudo: é a única questão. Para não sentirdes o horrível fardo do tempo que rompe os vossos ombros e vos inclina para o chão, é preciso embriagar-vos sem trégua. Mas de quê? De vinho, de poesia, [DE MÚSICA], de poesia ou de virtude, à vossa maneira. Mas embriagai-vos". 

Fetiches Estranhos



Em comemoração e agradecimento a mais de  milhões de acesso em nosso canal do youtube, os quatro primeiros comentários sobre o blog, ganham meu livro! Valendo! Há fetiches que são saudáveis, outros são saudáveis mas considerados estranhos, e entre estes alguns podem ser uma parafilia. Ouça o post e saiba como discernir os fetiches. E como eu sempre afirmo entre quatro paredes não deve existir moral e sim ética. As relações sexuais devem ser pautadas na ética e na cumplicidade sempre. Portanto, nesse sentido o sexo deve proporcionar prazer para ambos, com aceitação das pessoas envolvidas e sem colocar em risco a saúde de si e de outrem. Clique no  áudio post para conhecer os Fetiches considerados estranhos.  

domingo, 17 de junho de 2012

II SEAS - Seminário de Educação Afetivo Sexual



Prazo para Inscrição de Trabalhos na categoria Pôster: 
01 a 15 de julho de 2012
Vagas Limitadas!

Programação:

22/08/2012 - Quarta-feira

18: 30 às 19:20 – Credenciamento

19:20 às 19:30 – Abertura

19:20 às 20:30: Palestra: "Conversando sobre as sexualidades, numa perspectiva histórica" - Profª Dra. Arilda Inês Miranda Ribeiro (UNESP)
Coordenador: Prof. Esp. Livaldo Teixeira da Silva (Fac. Dom Bosco)

20:30 às 21:00: Coffee Brake – Lançamento de livros

21:00 às 22:15 – Mesa Redonda: Filosofia, Sexualidade e Formação Docente
Educação e Sexualidade: uma abordagem filosófica - Palestrante: Prof. Dr. Wilson Correia (UFRB)
A importância da Educação Sexual para a Formação Docente –Prof. Esp. Livaldo Teixeira da Silva
Coordenadora: Prof. Dra Cláudia Bonfim 

23/08/2012 – Quinta

14:00 às 15:00: Apresentação de Pôsteres

15:00 às 16:30 - Comunicação Oral

15:00 às 16:30 – Oficina: Sexualidade e Escola: Possibilidades Pedagógicas – Profª Me. Michele Fachini (UNICAMP) (30 vagas)

19:20 às 20:20 – Palestra: Considerações sobre Sexualidade a partir da História do Corpo – Prof. Dr. Fábio Zoboli (UFS)
Coordenadora: Prof. Esp. Marlene Vitória Bíscaro (Fac. Dom Bosco)

21:00 às 22:15 – Mesa Redonda: (Des)construindo a Sexualidade
“O Imaginário da sexualidade dos professores e suas implicações nas práticas” - Profª Dra Andrea Martelli (UNIOSTE)

"Sexualidade: a representação nos discursos e produtos da mídia" – Prof. Ddo. Ricardo Desidério (Fac. Pitágoras)


Inscrições abertas a partir de 01/07/2012
Local das Inscrições: 
Sede da Faculdade de Ensino Superior Dom Bosco - Secretaria
Av. Xv de Novembro, n. 57, Centro Cornélio Procópio - PR
Telefone:  
(43) 35236872

Valor da Inscrição: 
R$ 20,00  para participantes
R$ 25,00 para participantes com apresentação de trabalho


Organizaçao e Realização:
GEPES – Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação e Sexualidade
Coordenação: Profª Dra Cláudia Bonfim

Apoio:
Coordenação do Curso de Pedagogia e Licenciatura em Educação Física - Faculdade de Ensino Superior Dom Bosco
Programa de Educação Tutorial  (PET) - Ministério da Educação (MEC)
Coodernadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)

I - INSTRUÇÕES GERAIS PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS NA CATEGORIA PÔSTER:

1– Os trabalhos deverão ser encaminhados para o email gepespet@gmail.com, no período de 01/07/2012 a 15/07/2011; antes de enviar o trabalho socilite pelo email sua ficha de inscrição que deverá ser preenchida, impressa e o pagamento efetuado na sede secretaria na Faculdade de Ensino Supeor Dom Bosco.
2– Serão aceitos no máximo dois trabalhos por autor/co-autor, e no máximo 3 pessoas por trabalho, sendo que todos deverão estar inscritos no evento;
3– Não haverá alterações nos trabalhos enviados, a menos que seja solicitada pela Comissão Científica;
4– Os certificados dos pôsteres serão impressos com as informações que constam na ficha de inscrição. Cada participante receberá certificado pelo trabalho apresentado, os co-autores também receberão certificado desde que devidamente inscritos no evento. Os certificados serão emitidos na forma e sequência que constam no resumo e ficha de inscrição.

II - Os critérios para a seleção dos trabalhos a serem expostos sob a modalidade de pôsteres envolvem:

1 – O Resumo deverá ter forma de artigo, com problemática anunciada e desenvolvida, Objetivos, Métodos, Fundamentação Teórica, Conclusões Parciais e Referências. O pressuposto fundamental é que o trabalho esteja em consonância com a temática do evento. Os itens anteriormente descritos deverão estar claramente enunciados no texto. As referências são obrigatórias, no mínimo de 3 e seguir as Normas da ABNT.

No máximo 1.600 palavras o resumo. Os resumos aprovados pela Comissão Científica serão divulgados no blog do Grupo no dia 06/08/2012. E após a provação os autores dos trabalhos deverão enviar o trabalho completo na forma de resumo expandido de 06 a 08 páginas.

2- O Pôster caracteriza-se pela exposição de uma síntese de pesquisa ou experiência já concluída ou em andamento, inseridos em uma das Linhas do Evento:
01- Educação Sexual
02- Educação Física e Sexualidade
03- Direito e Sexualidade

3 – Além destes critérios de normatização estabelecidos no item anterior, os membros da Comissão Cientifica também considerarão para o aceite do trabalho:
(1)- Coerência entre título e proposta do estudo;
(2)- Relevância do tema;
(3) - Definição do referencial teórico-metodológico;
(5) - Coerência entre Metodologia e os objetivos do trabalho
(6) - Coerência entre resultados e discussão.

4 - A seleção dos trabalhos será realizada pela Comissão Científica do evento, à qual se reserva o direito de recusar trabalhos insatisfatórios ou que estejam fora das normas de inscrição, bem como ser soberana nas decisões e resoluções de eventuais imprevistos. Constituem razões para a rejeição:
a.   Assuntos pobremente organizados;
b.   Natureza do assunto deve ser explicita no título e no conteúdo do trabalho;
c.   Informações ausentes no trabalho: Objetivos, Problema, Métodos, Resultados e Conclusões;
d.   Assunto bem explicitado, mas de importância duvidosa;
e.   Confusões entre as premissas conduzindo a falsos raciocínios;
f.     Os métodos devem ser apropriados em relação à proposição;
g.   Conclusões não correspondem ao método de análise aplicado aos dados;
h.   Falta de critérios de definição da amostra;
i.     Metodologia inapropriada para avaliar a dimensão da Imagem Corporal abordada nos objetivos da pesquisa;
j.      Contribuição pouco relevante em relação ao estágio atual de conhecimento do assunto;


III– ORIENTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DO TEXTO DO RESUMO (DIGITAÇÃO) PARA AVALIAÇÃO:

1.   Processador de texto: Word for Windows (caso use a versão 2007, salve em .*.doc e não em .*.docx).
2.   Fonte: Arial normal – tamanho 12.
3.   Espaçamento:  Simples para o resumo, alinhamento justificado. Para o trabalho completo após aprovação o espaçamento entrelinhas do texto será 1,5
4.   Não utilizar recursos de formatação: cabeçalhos, rodapés...
5.   Não utilizar: gráficos, tabelas e abreviaturas no resumo.
6.   Usar itálico apenas para expressões estrangeiras.
7.   Não é necessário fazer um resumo estruturado, mas deve obrigatoriamente conter: objetivos, métodos, fundamentação teórica, problemática, resultados e conclusões claramente apresentados.
8.   Tamanho máximo do Resumo: 1600 palavras (incluindo referências).
9.   Formatação para Papel tamanho A 4
10.               Margem superior e esquerda com 3,0 cm; margem inferior e direita com 2,0 cm
11.               Páginas não numeradas
12.               Título em letras maiúsculas, negrito e centralizado.
13.                Abaixo do título à margem direita SOBRENOME, Nome Prenome (do autor ou atores por ordem alfabética de sobrenome), abaixo títulação e na sequência instituição e agência de fomento (caso houver).


IV – ORIENTAÇÕES PARA CONFECÇÃO DE PÔSTER:


Em caso de trabalhos aprovados para Sessão Pôster, o responsável deverá seguir os seguintes critérios:

• Dimensões: 0,90cm de largura por 1,20cm de altura.
• Titulo: O mesmo do resumo e em caixa alta. Deverá vir na parte superior, centralizado, em negrito, com letra de no mínimo 4 cm.
• Nome dos autores: abaixo do título, iniciado pelo sobrenome e seguido pela abreviação do prenome, alinhado à esquerda.
• Nome da instituição: abaixo dos nomes dos autores, alinhado à esquerda.
• Fontes de fomento: abaixo do nome da instituição, alinhado à esquerda (se houver).
• Conteúdo: estrutura apresentada no resumo (introdução, objetivos, métodos, resultados, conclusões e referências). Tópicos deverão ter alinhamento centralizado e o texto alinhamento justificado.
• Recomenda-se: que os gráficos e ilustrações tenham tamanho mínimo de 20x25cm.
• Recomenda-se: que o pôster tenha uma visualização objetiva, resumindo de forma clara o trabalho apresentado.
O pôster será afixado sob a forma de painel, que deverá apresentar qualidades estéticas e atrativas aos participantes.


Realização: GEPES PET MEC FDB

Comissão Organizadora:

Profª Dra Cláudia Bonfim – Presidente da Comissão Organizadora
Prof. Esp. Livaldo Teixeira da Silva – Coordenador do Curso de Pedagogia


Discentes membros do Grupo:

Ana Maria de Oliveira Busquim - Licenciatura em Educação Física
André de Souza Santos - Licenciatura em Educação Física
Cintia Silva Cezário -  Licenciatura em Educação Física
Eliane Marçal de Faria – Pedagogia
Gabriela Meschini - Direito
Graziélle Cristina Basso - Pedagogia
Isabella Natsumi Oyamada – Direito
Jennifer Karoline B de Araújo – Direito
Maria Angélica Caciola - Pedagogia
Marissa Cacciolari Petrus - Licenciatura em Educação Física
Roger da Silva - Licenciatura em Educação Física
Rovana França de Oliveira - Pedagogia
Thais Raffaela dos Martyres - Farmácia

Apoio e Realização:
Faculdade de Ensino Superior Dom Bosco
GEPES - Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação e Sexualidade    
MEC - Ministério de Educação e Cultura 
CAPES – Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior

Comissão Científica:
Profª Dra Cláudia Bonfim
Prof. Dr. Wilson Correia


sábado, 16 de junho de 2012

Será necessário criar uma política pública que ensine a Amar?



Nunca se falou tanto em igualdade, liberdade, sexualidade, mas por outro lado, nunca experimentamos um momento tão avassalador dentro das relações humanas. As relações se tornaram descartáveis. Nesse sentido pensamos a escola como instituição capaz de contribuir para uma educação afetivo sexual emancipatória, que objetive promover virtudes humanas e a  formação de pessoas autônomas, intelectual e afetivamente.  O processo educativo precisa  atingir não apenas a razão, mas também a emoção. Visando além da formação de bons profissionais, a formação de seres humanos melhores. Que além de  pensarem e raciocinarem, sejam capazes de amar. Talvez educando para o Amor conseguíssemos superar os preconceitos, tabus, dogmas e essa descartabilidade instaurada. Falta mesmo uma educação afetivo sexual em todos os espaços, que promova o Amor, a consciência da própria subjetividade, uma educação estética, visando uma sociedade onde as pessoas sejam capazes de expressarem-se através da maior qualidade eminente do ser humano: o AMOR! Acreditamos que depois da razão, ou talvez até mesmo antes dela, é este sentir, que essencialmente, nos caracteriza como seres humanos e é nossa maior expressão comunicativa. Nunca se falou tanto em direitos, e eu perguntaria será que teremos que criar uma lei  em que que pessoas sejam obrigadas a Amar?  Espero que não se precise chegar a tanto. Porém, não consigo sequer começar a pensar sobre isso, sem ter em mente a importância da educação afetivo-sexual, e a necessidade de uma política pública que efetive este processo educativo que é global, complexo e difícil, mas não impossível. Numa sociedade “rica” de direitos e liberdades, a convivência e amor tem se empobrecido. Generosidade e afeto, ultimamente não são mais do que palavras encontradas em dicionários.  Em tempos de descartabilidade, fatalismo,  violência e barbárie, urge uma educação dos afetos, dos sonhos, das coisas bonitas, das possibilidades. Aprender a AMAR é tão necessário quanto alimentar-se saudavelmente. Pois, AMOR é alimento da alma!


Profª Dra Cláudia Bonfim
Doutora em História, Filosofia e Educação – UNICAMP
Pesquisadora do Grupo PAIDÉIA – UNICAMP
Docente da Faculdade Dom Bosco
 Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação e Sexualidade
(GEPES-PET-MEC-FDB- CAPES) 

domingo, 10 de junho de 2012


 Vamos pensar sobre as concepções de amor que a sociedade nos condicionou a crer e viver?
Amor é uma construção que exige diálogo, cumplicidade e liberdade.

Clique no áudio post abaixo e confira!

sábado, 9 de junho de 2012

O que é Fetiche?


O que é fetiche? Existem vários tipos fetiches? Fetiches são saudáveis? Você tem algum fetiche? 
Acompanhe o aúdio post acima e entenda mais sobre o tema!

domingo, 3 de junho de 2012

Você também pode gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...